Inscreva-se e receba nossos artigos

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
26
07
2021

Passo a passo para otimizar a gestão logística

Tag
gestão
gestão de logística

Caso seu negócio esteja em busca de reduzir custos nas etapas do supply chain, é fundamental compreender a necessidade em otimizar a gestão logística do seu negócio. 

Através de um planejamento adequado, será possível preencher lacunas e tornar as operações muito mais produtivas. Confira neste conteúdo como otimizar a gestão logística!

Passo a passo para otimizar a gestão logística

A otimização da gestão logística faz uso de métodos responsáveis por definirem a melhor solução para um problema ou dificuldade. 

Dessa forma, a otimização de processos logísticos trata-se do aprimoramento das atividades, com o objetivo delas se tornarem mais eficientes, evitando falhas e reduzindo custos.

Contudo, é fundamental que seja feita uma análise para identificar onde as melhorias podem ser realizadas, além disso, é capaz também de verificar como é possível atender melhor aos clientes. Afinal, as operações logísticas precisam ser moldadas com o foco em oferecer o melhor serviço para eles.

Por consequência, seu negócio irá conseguir adequar sua logística de distribuição para desenvolver seus processos, beneficiando assim tanto o negócio quanto seus clientes. 

Trata-se aqui de uma prática recomendada para se destacar em meio à concorrência, oferecendo um serviço de qualidade.

Para alcançar um excelente processo logístico, os gestores precisam estar atentos às seguintes tarefas:

Mapeamento de atividades

O primeiro passo para otimizar a logística e distribuição de seu negócio é mapear e delimitar as atividades. O objetivo desta ação é entender a cadeia de suprimentos e como os processos relacionam-se entre si. Para isso, a dica é que seja elaborado um fluxograma, capaz de dar uma visão ampla das atividades.

Nessa fase do processo, também é preciso identificar quanto tempo leva para que cada atividade seja realizada, quem é responsável por qual tarefa e quais tecnologias são utilizadas. Apenas assim será possível entender a gestão da cadeia de suprimentos da sua empresa e avaliar possíveis falhas. 

Correção de falhas 

O mapeamento irá garantir a identificação de falhas, após isso, é necessário analisar a melhor maneira de corrigi-las. Mesmo as tarefas que basicamente estiverem abaixo do ideal precisam ser analisadas e aprimoradas, como a gestão de estoque, roteirização, entre outras. 

É preciso entender qual o melhor cenário e, com isso, traçar um plano para alcançá-lo. E é exatamente nesta etapa que o gestor deve se valer de um levantamento cuidadoso, onde consiga identificar os pontos fortes e fracos de toda a operação

Monitore indicadores de desempenho

Para determinar a gestão logística, ou gerenciamento da cadeia de suprimentos, está operando corretamente, é necessário definir indicadores de desempenho logístico. Desse modo, você poderá rastrear, identificar e otimizar todos os processos.

Uma coisa é certa, cada empresa tem suas particularidades e deve definir indicadores de acordo com seus processos. O primeiro passo pode ser o monitoramento de entregas feitas dentro do prazo, por exemplo, os incidentes durante o transporte, o tempo médio de entrega, entre outras etapas. 

Quais tecnologias podem ajudar na otimização?

No mercado atual, existem diversas ferramentas logísticas que podem auxiliar no processo de otimização das atividades do seu negócio. Acompanhe algumas delas que separamos especialmente para você:

Big data

Big Data é uma grande massa de dados coletados provenientes de inúmeras fontes, principalmente da internet. A sua utilização tem o objetivo de melhorar a gestão e a performance de negócios no segmento logístico. O seu funcionamento depende de 5 pilares ou 5 V’s:

  1. volume: está relacionada a captura de um amplo volume de dados para análise posterior;
  2. variedade: os dados podem ser estruturados e não estruturados, alguns exemplos são as mensagens, vídeos, sons e fotos;
  3. velocidade: permite o estudo de um fenômeno ou comportamento em tempo real para viabilizar a tomada de decisão;
  4. veracidade: indica a qualidade da informação coletada, afinal, se baseia em interações; 
  5. valor: além da ampla disponibilidade de informações, é essencial compreender esse conteúdo para gerar valor para o negócio.

Através da análise dos dados, é possível obter informações precisas sobre logística. Em outras palavras, dados estão normalmente na forma bruta, representados por palavras e/ou números que por si só não dizem muita coisa! Considerando o tratamento desses dados, como as correlações e segmentações, por exemplo, conseguimos obter informações importantes.

Isoladamente os dados não têm tanta relevância, mas são uma fonte de informação muito importante. Estudar os dados para ter melhores ações é a chave. É possível correlacionar alguns produtos com outros e descobrir que, num exemplo muito simples, dá para verificar o que vende mais num determinado horário do dia ou ainda, período do mês e ano. 

Além disso, é possível descobrir quais itens estão mais presentes nas compras com maior ou menor valor total. Ou seja, diversas informações podem ser extraídas do Big Data!

O big data é considerado hoje o principal integrador de informações. Para a logística, a aplicação se refere a conectar de forma automática as informações de venda para que o processo de separação de materiais e expedição dos pedidos seja mais rápido.

E mais, com o registro de todo o processo, estatísticas podem ser criadas, possibilitando assim verificar, por exemplo, qual produto mais saiu do estoque em determinado período, o que ajuda no planejamento de compra de matéria-prima.

WMS

O WMS nada mais é que um sistema de logística que integra a cadeia de suprimentos (SCM – Supply Chain Management), e seu principal objetivo é o gerenciamento e a automatização de todos os processos logísticos que ocorrem em um armazém ou centro de distribuição.

Com isso, houve uma revolução nos setores que demandam logística eficiente. Se antes o controle era feito manualmente, a partir dessa solução o próprio software assume total controle do estoque, desde o momento da chegada de um produto, até a etapa de expedição. O resultado? Diminuição de falhas nos processos logísticos e redução de custos, mas a lista não para por aí, além disso:

  • Otimização do tempo gasto;
  • Organização de todos os processos internos;
  • Controle da entrada e saída de produtos;
  • Planejamento de recursos;
  • Melhoria na comunicação;
  • Controle e abastecimento da linha de produção;

O sistema WMS na logística se conecta a um banco de dados, ali são registrados toda e qualquer movimentação que acontece dentro do armazém, tudo é mediado a partir do uso de códigos de barras, QR codes ou sensores automáticos. Algumas atividades realizadas pelo software, capaz de reduzir falhas importantes na logística:

  • Registra entrada e saída de mercadorias;
  • Atualizar o inventário com informações gerais sobre os produtos, como data de validade, peso, dimensões e número de lote;
  • Impulsiona a organização do estoque, com base na demanda, otimizando o espaço disponível;
  • Fornece relatórios atualizados sobre o status dos produtos no armazém.

ERP

O uso de sistemas de informação pelas empresas é o que viabiliza inúmeros setores que fazem parte das inovações apresentadas neste conteúdo. Afinal, por meio deles é possível centralizar a gestão da informação de toda a empresa, integrando a logística de variadas filiais em diferentes localidades, por exemplo, e permitindo uma tomada de decisão muito mais conjunta, que podemos chamar também de alinhada.

Por outro lado, esses sistemas permitem a análise dos dados de modo a antecipar futuras demandas e/ou possíveis inconsistências nos processos, dando permissão a empresa que se adapte para um aumento ou diminuição no fluxo de entregas, este é um exemplo, ou corrija falhas antes que elas tenham o poder de ocasionar prejuízos.

TMS 

O TMS, sigla para Transportation Management System, trata-se de um sistema de gestão voltado centralmente às atividades de transporte. O software é considerado indispensável para as rotinas de negócios que lidam com uma frota própria ou transportadoras.

Esta solução abrange diversas funções vantajosas, capazes de contribuir para o planejamento e otimização de processos logísticos. De modo geral, o software controla qualquer tipo de informação e tarefa relacionado ao transporte como:

  • gestão de frota;
  • otimização de carga e rotas;
  • auditoria de frete;
  • emissão de documentos e notas;
  • despacho e entregas;
  • entre outros.

Dessa maneira, através dele, com precisão,  a empresa percebe ganhos no seu dia a dia, por exemplo:

  • redução de custos;
  • aumento da visibilidade do negócio e de toda cadeia de transportes;
  • garantia da conformidade;
  • maior flexibilidade;
  • torna possível acompanhar os processos por meio de indicadores de desempenho, dando apoio às tomadas de decisão.

Invista em tecnologia logística com a Pier 8 

Agora que chegamos ao fim deste conteúdo, você já deve saber, mas vale ressaltar: é essencial investir em tecnologias que automatizam processos e forneçam ferramentas para uma melhor gestão das operações.

A integração logística, de softwares essenciais para gestão logística, é capaz de transformar a gestão da sua operação incorporando desde de serviços até acesso a indicadores que ajudam na tomada de decisão rápida e eficiente. 

Quer saber como a Pier 8 pode te ajudar? Entre em contato


Inscreva-se e receba nossos artigos!

Tag
gestão
gestão de logística

Passo a passo para otimizar a gestão logística

Caso seu negócio esteja em busca de reduzir custos nas etapas do supply chain, é fundamental compreender a necessidade em otimizar a gestão logística do seu negócio. 

Através de um planejamento adequado, será possível preencher lacunas e tornar as operações muito mais produtivas. Confira neste conteúdo como otimizar a gestão logística!

Passo a passo para otimizar a gestão logística

A otimização da gestão logística faz uso de métodos responsáveis por definirem a melhor solução para um problema ou dificuldade. 

Dessa forma, a otimização de processos logísticos trata-se do aprimoramento das atividades, com o objetivo delas se tornarem mais eficientes, evitando falhas e reduzindo custos.

Contudo, é fundamental que seja feita uma análise para identificar onde as melhorias podem ser realizadas, além disso, é capaz também de verificar como é possível atender melhor aos clientes. Afinal, as operações logísticas precisam ser moldadas com o foco em oferecer o melhor serviço para eles.

Por consequência, seu negócio irá conseguir adequar sua logística de distribuição para desenvolver seus processos, beneficiando assim tanto o negócio quanto seus clientes. 

Trata-se aqui de uma prática recomendada para se destacar em meio à concorrência, oferecendo um serviço de qualidade.

Para alcançar um excelente processo logístico, os gestores precisam estar atentos às seguintes tarefas:

Mapeamento de atividades

O primeiro passo para otimizar a logística e distribuição de seu negócio é mapear e delimitar as atividades. O objetivo desta ação é entender a cadeia de suprimentos e como os processos relacionam-se entre si. Para isso, a dica é que seja elaborado um fluxograma, capaz de dar uma visão ampla das atividades.

Nessa fase do processo, também é preciso identificar quanto tempo leva para que cada atividade seja realizada, quem é responsável por qual tarefa e quais tecnologias são utilizadas. Apenas assim será possível entender a gestão da cadeia de suprimentos da sua empresa e avaliar possíveis falhas. 

Correção de falhas 

O mapeamento irá garantir a identificação de falhas, após isso, é necessário analisar a melhor maneira de corrigi-las. Mesmo as tarefas que basicamente estiverem abaixo do ideal precisam ser analisadas e aprimoradas, como a gestão de estoque, roteirização, entre outras. 

É preciso entender qual o melhor cenário e, com isso, traçar um plano para alcançá-lo. E é exatamente nesta etapa que o gestor deve se valer de um levantamento cuidadoso, onde consiga identificar os pontos fortes e fracos de toda a operação

Monitore indicadores de desempenho

Para determinar a gestão logística, ou gerenciamento da cadeia de suprimentos, está operando corretamente, é necessário definir indicadores de desempenho logístico. Desse modo, você poderá rastrear, identificar e otimizar todos os processos.

Uma coisa é certa, cada empresa tem suas particularidades e deve definir indicadores de acordo com seus processos. O primeiro passo pode ser o monitoramento de entregas feitas dentro do prazo, por exemplo, os incidentes durante o transporte, o tempo médio de entrega, entre outras etapas. 

Quais tecnologias podem ajudar na otimização?

No mercado atual, existem diversas ferramentas logísticas que podem auxiliar no processo de otimização das atividades do seu negócio. Acompanhe algumas delas que separamos especialmente para você:

Big data

Big Data é uma grande massa de dados coletados provenientes de inúmeras fontes, principalmente da internet. A sua utilização tem o objetivo de melhorar a gestão e a performance de negócios no segmento logístico. O seu funcionamento depende de 5 pilares ou 5 V’s:

  1. volume: está relacionada a captura de um amplo volume de dados para análise posterior;
  2. variedade: os dados podem ser estruturados e não estruturados, alguns exemplos são as mensagens, vídeos, sons e fotos;
  3. velocidade: permite o estudo de um fenômeno ou comportamento em tempo real para viabilizar a tomada de decisão;
  4. veracidade: indica a qualidade da informação coletada, afinal, se baseia em interações; 
  5. valor: além da ampla disponibilidade de informações, é essencial compreender esse conteúdo para gerar valor para o negócio.

Através da análise dos dados, é possível obter informações precisas sobre logística. Em outras palavras, dados estão normalmente na forma bruta, representados por palavras e/ou números que por si só não dizem muita coisa! Considerando o tratamento desses dados, como as correlações e segmentações, por exemplo, conseguimos obter informações importantes.

Isoladamente os dados não têm tanta relevância, mas são uma fonte de informação muito importante. Estudar os dados para ter melhores ações é a chave. É possível correlacionar alguns produtos com outros e descobrir que, num exemplo muito simples, dá para verificar o que vende mais num determinado horário do dia ou ainda, período do mês e ano. 

Além disso, é possível descobrir quais itens estão mais presentes nas compras com maior ou menor valor total. Ou seja, diversas informações podem ser extraídas do Big Data!

O big data é considerado hoje o principal integrador de informações. Para a logística, a aplicação se refere a conectar de forma automática as informações de venda para que o processo de separação de materiais e expedição dos pedidos seja mais rápido.

E mais, com o registro de todo o processo, estatísticas podem ser criadas, possibilitando assim verificar, por exemplo, qual produto mais saiu do estoque em determinado período, o que ajuda no planejamento de compra de matéria-prima.

WMS

O WMS nada mais é que um sistema de logística que integra a cadeia de suprimentos (SCM – Supply Chain Management), e seu principal objetivo é o gerenciamento e a automatização de todos os processos logísticos que ocorrem em um armazém ou centro de distribuição.

Com isso, houve uma revolução nos setores que demandam logística eficiente. Se antes o controle era feito manualmente, a partir dessa solução o próprio software assume total controle do estoque, desde o momento da chegada de um produto, até a etapa de expedição. O resultado? Diminuição de falhas nos processos logísticos e redução de custos, mas a lista não para por aí, além disso:

  • Otimização do tempo gasto;
  • Organização de todos os processos internos;
  • Controle da entrada e saída de produtos;
  • Planejamento de recursos;
  • Melhoria na comunicação;
  • Controle e abastecimento da linha de produção;

O sistema WMS na logística se conecta a um banco de dados, ali são registrados toda e qualquer movimentação que acontece dentro do armazém, tudo é mediado a partir do uso de códigos de barras, QR codes ou sensores automáticos. Algumas atividades realizadas pelo software, capaz de reduzir falhas importantes na logística:

  • Registra entrada e saída de mercadorias;
  • Atualizar o inventário com informações gerais sobre os produtos, como data de validade, peso, dimensões e número de lote;
  • Impulsiona a organização do estoque, com base na demanda, otimizando o espaço disponível;
  • Fornece relatórios atualizados sobre o status dos produtos no armazém.

ERP

O uso de sistemas de informação pelas empresas é o que viabiliza inúmeros setores que fazem parte das inovações apresentadas neste conteúdo. Afinal, por meio deles é possível centralizar a gestão da informação de toda a empresa, integrando a logística de variadas filiais em diferentes localidades, por exemplo, e permitindo uma tomada de decisão muito mais conjunta, que podemos chamar também de alinhada.

Por outro lado, esses sistemas permitem a análise dos dados de modo a antecipar futuras demandas e/ou possíveis inconsistências nos processos, dando permissão a empresa que se adapte para um aumento ou diminuição no fluxo de entregas, este é um exemplo, ou corrija falhas antes que elas tenham o poder de ocasionar prejuízos.

TMS 

O TMS, sigla para Transportation Management System, trata-se de um sistema de gestão voltado centralmente às atividades de transporte. O software é considerado indispensável para as rotinas de negócios que lidam com uma frota própria ou transportadoras.

Esta solução abrange diversas funções vantajosas, capazes de contribuir para o planejamento e otimização de processos logísticos. De modo geral, o software controla qualquer tipo de informação e tarefa relacionado ao transporte como:

  • gestão de frota;
  • otimização de carga e rotas;
  • auditoria de frete;
  • emissão de documentos e notas;
  • despacho e entregas;
  • entre outros.

Dessa maneira, através dele, com precisão,  a empresa percebe ganhos no seu dia a dia, por exemplo:

  • redução de custos;
  • aumento da visibilidade do negócio e de toda cadeia de transportes;
  • garantia da conformidade;
  • maior flexibilidade;
  • torna possível acompanhar os processos por meio de indicadores de desempenho, dando apoio às tomadas de decisão.

Invista em tecnologia logística com a Pier 8 

Agora que chegamos ao fim deste conteúdo, você já deve saber, mas vale ressaltar: é essencial investir em tecnologias que automatizam processos e forneçam ferramentas para uma melhor gestão das operações.

A integração logística, de softwares essenciais para gestão logística, é capaz de transformar a gestão da sua operação incorporando desde de serviços até acesso a indicadores que ajudam na tomada de decisão rápida e eficiente. 

Quer saber como a Pier 8 pode te ajudar? Entre em contato


Preencha seus dados e acesse o e-book.

Tem alguma dúvida sobre Logística para E-Commerce?