Inscreva-se e receba nossos artigos

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
16
09
2021

O que é logística data-driven e como aplicá-la?

Tag
logística

Data driven refere-se a possibilidade de tomar decisões mais objetivas sobre suas operações baseando-se em dados fornecidos e coletados de seus clientes, fornecedores e colaboradores. Isso te dá a oportunidade de ter uma seriedade no trabalho ao analisar dados concretos e não especulativos. 

Assim, a logística data driven tem sido considerada uma tendência da logística. Nesta estratégia, os dados gerados nos sistemas de informação são aproveitados para tomar melhores decisões. Esta concepção é influenciada pela logística 4.0, que trouxe aspectos da transformação digital na logística e com a própria noção de quarta revolução industrial.

Uma vez que o mundo esteja cada vez mais tecnológico, as empresas têm buscado descentralização nas decisões, integração de dados, agilidade, produtividade, menos custos e previsibilidade. Com isso, através de uma gestão orientada por dados, tudo isso se torna realidade. Mas é importante se adaptar a uma mudança cultural.

Neste conteúdo, vamos te apresentar os principais aspectos da logística data-driven e como você pode aplicá-la. 

O que é Logística Data-Driven?

Se o seu objetivo é dominar bem as estratégias dos competidores, é essencial conhecer bem seu mercado. Portanto, para sair na frente é preciso tomar decisões corretas e aplicar estratégias capazes de ajudar seu negócio. Uma das maneiras de conseguir esse conhecimento é por meio de análises de dados e, uma das maneiras de alcançar tal objetivo é a partir da data driven, refere-se a uma orientação por dados. 

O termo define uma cultura relacionada às informações e aos rastros que são gerados por sistemas em busca de insights valiosos para planejar os processos e estabelecer direcionamentos. Ou seja, ficaram para trás as escolhas apressadas, aquelas que têm base em intuição ou unicamente em exemplos isolados de outras empresas.

Basicamente, isso significa manter um controle da logística a partir de indicadores de desempenho e informações registradas em softwares de controle. Esses insumos informacionais estratégicos são reunidos e analisados constantemente para que sejam extraídos pedaços de informação úteis. Dessa forma, é possível aplicar soluções em problemas pontuais ou, até mesmo, dar continuidade com os bons resultados.

Os dados não saem de lugares desconhecidos, tem origem em Big Data. O conceito representa as grandes massas de dados estruturados ou não estruturados, que são formados em alta velocidade e que geram um desafio para aquelas pessoas que desejam processá-los. No limite, ser data driven é planejar e estruturar as suas escolhas com base em informações oriundas desse Big Data.

Os dados são capazes de fornecer uma base sólida para a tomada de decisão. Afinal, eles estão sempre disponíveis em alto volume, com uma alta variedade de formatos, tornando possível uma análise mais aprofundada e contextualizada. Pode-se dizer que o diferencial é que esta análise considera diversos pontos de vista e várias perspectivas ao mesmo tempo.

Para se tornarem valiosos, os dados passam por um processo de tratamento e de análise. Nesta etapa, os padrões, tendências e relações são identificados, para então poderem gerar contexto e expandir a visão sobre eles. Com essa estratégia é possível realizar análises que trazem o levantamento do que ocorreu (como os resultados passados), bem como as causas do que ocorreu.

Agentes

A logística data driven irá depender de diversos agentes. Um deles é a malha de automação industrial e logística, responsável por gerar dados e atuar na gestão e na análise deles. Os sistemas inteligentes gerenciam essa variedade de dados brutos e cuidam deles, fornecendo somente as respostas esperadas para os profissionais e gestores. Outros desses agentes são:

  • a Internet das Coisas é capaz de fazer o monitoramento de máquinas e mercadorias, gerando dados para as análises;
  • a Inteligência Artificial na logística, define-se pela aplicação que permite analisar essa massa de dados em busca de valor.

Aplicação

Na logística, uma cultura data driven pode ser aplicada em diversas etapas. No armazenamento, através do monitoramento das movimentações, das mercadorias e do trabalho dos profissionais — desde a entrada de produtos ao picking e expedição; e no transporte, por meio do controle de indicadores acerca das rotas e entregas, bem como da eficiência dos equipamentos.

Em vez de tomar decisões aleatórias, sem um fundamento, a gestão consegue buscar perguntas aos dados e obter respostas sobre os resultados e as condições atuais da cadeia de suprimentos. A partir disso, é possível tomar as melhores decisões e escolhas.

Além disso, uma das maiores possibilidades dessas tecnologias analíticas está voltada para a capacidade de se voltar ao futuro, com maior previsibilidade. E, assim, são permitidas predições dos eventos futuros e de ações que podem ser tomadas.

4 vantagens de adotar uma logística data driven

Agora que você já sabe o que é a logística data-driven, vamos aprofundar as vantagens deste conceito e explicar, na prática, qual o impacto disso para a sua empresa.

1. Melhora a logística interna

A logística data-driven é capaz de trazer diversas melhorias significativas que podem ser percebidas na intralogística. A partir disso, os negócios conseguem otimizar os espaços e diminuir os custos de armazenamento, gerenciar melhor os estoques, prever demandas, prevenir perdas de produtos, evitar paradas e gargalos operacionais, entre outras possibilidades.

Através do monitoramento dos espaços no centro de distribuição, é possível também analisar os dados acerca do que está sendo feito para otimizar os resultados. A visão dos dados gera mais controle para os gestores, garantindo uma maior capacidade de intervenção em situações problemáticas, em tempo real.

2. Identifica a causa dos problemas

A logística data driven auxilia também na identificação da causa dos problemas. Os dados informam tais problemas que existem internamente e ajudam os gestores a entenderem bem o motivo e origens daquelas ocorrências negativas. Dessa forma, é possível tomar as melhores decisões para resolver cada dificuldade pontual e obter o retorno positivo.

No armazenamento logístico, por exemplo, caso esteja sendo caracterizado por desorganização, os dados são imprescindíveis para encontrar a solução. 

O problema pode ser a falta de definição prévia do local onde cada mercadoria deve ser direcionada ao estoque— o que deve ser corrigido para evitar transtornos na expedição. O cruzamento dos dados torna possível o levantamento de hipóteses para a compreensão total da situação.

3. Reduz o lead time

Como desdobramento dessas alterações positivas, a empresa pode melhorar um dos indicadores mais relevantes na logística: o lead time. Assim, é possível otimizar todos os processos encadeados para chegar a entradas, saídas e expedições organizadas, além de um transporte eficiente, de forma que os ciclos de entrega sejam agilizados.

A logística data driven fornece uma visão ampla para os líderes logísticos através da identificação de problemas e erros. As melhorias são contínuas, com o monitoramento constante e em tempo real. Assim, cada equipe se torna mais produtiva e eficiente, de modo a atender um número maior de demandas e entregar os resultados esperados. Ou seja, significa geração de valor para todos os envolvidos e, por consequência, para o cliente final.

4. Reduz os desperdícios

Outro benefício da logística data-driven é a sua influência para redução de desperdícios. Os custos excedentes são eliminados, uma vez que os processos se tornam precisos e eficientes, com esforços que atendem a demanda. As melhores contínuas, decorrentes das melhores decisões, tornam a empresa ainda mais especialista e certeira em seus processos.

A logística data driven trata-se de um movimento crescente nos processos de armazenamento, distribuição e transporte de mercadorias

Trata-se de uma estratégia para implementar melhorias contínuas e crescentes através do apoio de dados sólidos e contextualizados. Assim, erra-se menos nas escolhas, tornando possível a redução de custos e o aumento da produtividade.

Gostou do conteúdo? 

Continue acompanhando o blog para receber mais dicas para seu negócio. A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio, entre em contato



Inscreva-se e receba nossos artigos!

Tag
logística

O que é logística data-driven e como aplicá-la?

Data driven refere-se a possibilidade de tomar decisões mais objetivas sobre suas operações baseando-se em dados fornecidos e coletados de seus clientes, fornecedores e colaboradores. Isso te dá a oportunidade de ter uma seriedade no trabalho ao analisar dados concretos e não especulativos. 

Assim, a logística data driven tem sido considerada uma tendência da logística. Nesta estratégia, os dados gerados nos sistemas de informação são aproveitados para tomar melhores decisões. Esta concepção é influenciada pela logística 4.0, que trouxe aspectos da transformação digital na logística e com a própria noção de quarta revolução industrial.

Uma vez que o mundo esteja cada vez mais tecnológico, as empresas têm buscado descentralização nas decisões, integração de dados, agilidade, produtividade, menos custos e previsibilidade. Com isso, através de uma gestão orientada por dados, tudo isso se torna realidade. Mas é importante se adaptar a uma mudança cultural.

Neste conteúdo, vamos te apresentar os principais aspectos da logística data-driven e como você pode aplicá-la. 

O que é Logística Data-Driven?

Se o seu objetivo é dominar bem as estratégias dos competidores, é essencial conhecer bem seu mercado. Portanto, para sair na frente é preciso tomar decisões corretas e aplicar estratégias capazes de ajudar seu negócio. Uma das maneiras de conseguir esse conhecimento é por meio de análises de dados e, uma das maneiras de alcançar tal objetivo é a partir da data driven, refere-se a uma orientação por dados. 

O termo define uma cultura relacionada às informações e aos rastros que são gerados por sistemas em busca de insights valiosos para planejar os processos e estabelecer direcionamentos. Ou seja, ficaram para trás as escolhas apressadas, aquelas que têm base em intuição ou unicamente em exemplos isolados de outras empresas.

Basicamente, isso significa manter um controle da logística a partir de indicadores de desempenho e informações registradas em softwares de controle. Esses insumos informacionais estratégicos são reunidos e analisados constantemente para que sejam extraídos pedaços de informação úteis. Dessa forma, é possível aplicar soluções em problemas pontuais ou, até mesmo, dar continuidade com os bons resultados.

Os dados não saem de lugares desconhecidos, tem origem em Big Data. O conceito representa as grandes massas de dados estruturados ou não estruturados, que são formados em alta velocidade e que geram um desafio para aquelas pessoas que desejam processá-los. No limite, ser data driven é planejar e estruturar as suas escolhas com base em informações oriundas desse Big Data.

Os dados são capazes de fornecer uma base sólida para a tomada de decisão. Afinal, eles estão sempre disponíveis em alto volume, com uma alta variedade de formatos, tornando possível uma análise mais aprofundada e contextualizada. Pode-se dizer que o diferencial é que esta análise considera diversos pontos de vista e várias perspectivas ao mesmo tempo.

Para se tornarem valiosos, os dados passam por um processo de tratamento e de análise. Nesta etapa, os padrões, tendências e relações são identificados, para então poderem gerar contexto e expandir a visão sobre eles. Com essa estratégia é possível realizar análises que trazem o levantamento do que ocorreu (como os resultados passados), bem como as causas do que ocorreu.

Agentes

A logística data driven irá depender de diversos agentes. Um deles é a malha de automação industrial e logística, responsável por gerar dados e atuar na gestão e na análise deles. Os sistemas inteligentes gerenciam essa variedade de dados brutos e cuidam deles, fornecendo somente as respostas esperadas para os profissionais e gestores. Outros desses agentes são:

  • a Internet das Coisas é capaz de fazer o monitoramento de máquinas e mercadorias, gerando dados para as análises;
  • a Inteligência Artificial na logística, define-se pela aplicação que permite analisar essa massa de dados em busca de valor.

Aplicação

Na logística, uma cultura data driven pode ser aplicada em diversas etapas. No armazenamento, através do monitoramento das movimentações, das mercadorias e do trabalho dos profissionais — desde a entrada de produtos ao picking e expedição; e no transporte, por meio do controle de indicadores acerca das rotas e entregas, bem como da eficiência dos equipamentos.

Em vez de tomar decisões aleatórias, sem um fundamento, a gestão consegue buscar perguntas aos dados e obter respostas sobre os resultados e as condições atuais da cadeia de suprimentos. A partir disso, é possível tomar as melhores decisões e escolhas.

Além disso, uma das maiores possibilidades dessas tecnologias analíticas está voltada para a capacidade de se voltar ao futuro, com maior previsibilidade. E, assim, são permitidas predições dos eventos futuros e de ações que podem ser tomadas.

4 vantagens de adotar uma logística data driven

Agora que você já sabe o que é a logística data-driven, vamos aprofundar as vantagens deste conceito e explicar, na prática, qual o impacto disso para a sua empresa.

1. Melhora a logística interna

A logística data-driven é capaz de trazer diversas melhorias significativas que podem ser percebidas na intralogística. A partir disso, os negócios conseguem otimizar os espaços e diminuir os custos de armazenamento, gerenciar melhor os estoques, prever demandas, prevenir perdas de produtos, evitar paradas e gargalos operacionais, entre outras possibilidades.

Através do monitoramento dos espaços no centro de distribuição, é possível também analisar os dados acerca do que está sendo feito para otimizar os resultados. A visão dos dados gera mais controle para os gestores, garantindo uma maior capacidade de intervenção em situações problemáticas, em tempo real.

2. Identifica a causa dos problemas

A logística data driven auxilia também na identificação da causa dos problemas. Os dados informam tais problemas que existem internamente e ajudam os gestores a entenderem bem o motivo e origens daquelas ocorrências negativas. Dessa forma, é possível tomar as melhores decisões para resolver cada dificuldade pontual e obter o retorno positivo.

No armazenamento logístico, por exemplo, caso esteja sendo caracterizado por desorganização, os dados são imprescindíveis para encontrar a solução. 

O problema pode ser a falta de definição prévia do local onde cada mercadoria deve ser direcionada ao estoque— o que deve ser corrigido para evitar transtornos na expedição. O cruzamento dos dados torna possível o levantamento de hipóteses para a compreensão total da situação.

3. Reduz o lead time

Como desdobramento dessas alterações positivas, a empresa pode melhorar um dos indicadores mais relevantes na logística: o lead time. Assim, é possível otimizar todos os processos encadeados para chegar a entradas, saídas e expedições organizadas, além de um transporte eficiente, de forma que os ciclos de entrega sejam agilizados.

A logística data driven fornece uma visão ampla para os líderes logísticos através da identificação de problemas e erros. As melhorias são contínuas, com o monitoramento constante e em tempo real. Assim, cada equipe se torna mais produtiva e eficiente, de modo a atender um número maior de demandas e entregar os resultados esperados. Ou seja, significa geração de valor para todos os envolvidos e, por consequência, para o cliente final.

4. Reduz os desperdícios

Outro benefício da logística data-driven é a sua influência para redução de desperdícios. Os custos excedentes são eliminados, uma vez que os processos se tornam precisos e eficientes, com esforços que atendem a demanda. As melhores contínuas, decorrentes das melhores decisões, tornam a empresa ainda mais especialista e certeira em seus processos.

A logística data driven trata-se de um movimento crescente nos processos de armazenamento, distribuição e transporte de mercadorias

Trata-se de uma estratégia para implementar melhorias contínuas e crescentes através do apoio de dados sólidos e contextualizados. Assim, erra-se menos nas escolhas, tornando possível a redução de custos e o aumento da produtividade.

Gostou do conteúdo? 

Continue acompanhando o blog para receber mais dicas para seu negócio. A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio, entre em contato



Preencha seus dados e acesse o e-book.

Tem alguma dúvida sobre Logística para E-Commerce?