Inscreva-se e receba nossos artigos

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
18
08
2021

O que é flexibilidade logística e como aplicá-la?

Tag
logística

A flexibilidade logística, atualmente, tem sido talvez o fator mais importante na cadeia de abastecimento. A razão para que isso esteja acontecendo está diante do entorno tão dinâmico e imprevisível em que os clientes estão envolvidos.

Flexibilidade na logística significa adaptação voltada para o apoio de sistemas e processos necessários para dar continuidade às tarefas com o ritmo que os clientes e a indústria estabelecem.

O que é flexibilidade logística? Passo a passo para aplicá-la

Muitas empresas têm como premissa que o planejamento da produção e da distribuição é realizado de maneira quinzenal. Dessa forma, faz com que se requeira uma grande capacidade de adaptação para reagir no menor tempo possível a problemas relacionados com rotas, volumes, envios e entregas.

Nos tempos modernos, a capacidade de reagir de forma rápida é crítica, e as companhias somente podem fazer isto se tiverem digitalizado seu negócio, ou seja,  através de uma cadeia de suprimentos digital

A nova realidade deixou para trás a dinâmica logística que envolvia folhas de cálculo, o e-mail e o fax para atualizar diferentes status. Através de uma coordenação de fluxos de informação eficiente entre as áreas de abastecimento, armazém, produção, gestão de pedidos e emissão é possível (e vital, questão de sobrevivência), para responder às exigências dos clientes, o que por sua vez reduz inventários e custos de envio.

Qual o papel da flexibilidade logística na cadeia de suprimentos? 

A flexibilidade logística acarreta uma cadeia de suprimentos digital capaz de estar conectada, que, a partir da nuvem, centralizar e otimiza uma informação originada nos sistemas de produção, administração, logística e outros; converte-se em um painel de controle que integra em tempo real sistemas, processos e informação caracterizadas por três fatores:

Modelo de entrega: implementar um software como serviço (SaaS) que irá contribuir com a criação de redes fora da companhia e irá beneficiar financeiramente ao igualar economias e custos.

Funcionalidade: trata-se aqui de combinar as melhores práticas comerciais com ferramentas de administração de cadeias de suprimentos, que sejam capazes de ser implantadas por módulos.

Serviços: trata-se de adicionar à plataforma funções de análise, avaliação comparativa, inteligência de negócios, engenharia e administração.

Por fim, pode-se dizer que a flexibilidade logística planejada pode ser alcançada através de sistemas aperfeiçoados de logística funcionais (capazes de realizar certas tarefas), precisos (seguros e estáveis nas operações), de rápida implementação e, acima disso, que possam ser configuráveis.

Se você é um gestor que está em busca de reagir de maneira ágil é aconselhável implementar padrões de logísticas com base nas melhores práticas internas que superem as dificuldades e exceções. 

A partir da aplicação de normas em processos, instalações, equipamentos e infraestrutura o resultado será diversas soluções padronizadas e estruturadas que permitirão reagir com flexibilidade diante de qualquer complexidade. Confira 3 que não podem deixar de ter no seu negócio: 

Principais softwares para aplicar à logística

Na logística, a tecnologia e a automação têm uma presença cada vez mais relevante para a flexibilidade logística, tanto que, hoje em dia, é muito difícil alcançar a alta performance e ter serviços competitivos e rentáveis, sem o suporte de softwares.

Por consequência, para suprir as demandas do novo mercado, uma ampla gama de sistemas modernos foram desenvolvidos para cumprir com as etapas do fluxo de distribuição, promovendo maior integração, agilidade e eficiência. Como resultado, as atividades se tornam mais produtivas, econômicas e inteligentes.

1. Sistemas de Gestão de Transportes (TMS)

O TMS, sigla para Transportation Management System, trata-se de um sistema de gestão voltado centralmente às atividades de transporte. O software é considerado indispensável para as rotinas de negócios que lidam com uma frota própria ou transportadoras.

Esta solução abrange diversas funções vantajosas, capazes de contribuir para o planejamento e otimização de processos logísticos. De modo geral, o software controla qualquer tipo de informação e tarefa relacionado ao transporte como:

  • gestão de frota;
  • otimização de carga e rotas;
  • auditoria de frete;
  • emissão de documentos e notas;
  • despacho e entregas;
  • entre outros.

Dessa maneira, através dele, com precisão,  a empresa percebe ganhos no seu dia a dia, por exemplo:

  • redução de custos;
  • aumento da visibilidade do negócio e de toda cadeia de transportes;
  • garantia da conformidade;
  • maior flexibilidade;
  • torna possível acompanhar os processos por meio de indicadores de desempenho, dando apoio às tomadas de decisão.

2. Sistemas de Gestão de Armazéns (WMS)

O foco do Warehouse Management System (WMS) é a gestão de armazéns e estoques, o software nada mais é que um sistema de logística que integra a cadeia de suprimentos (SCM – Supply Chain Management), e seu principal objetivo é o gerenciamento e a automatização de todos os processos logísticos que ocorrem em um armazém ou centro de distribuição. No fim, as equipes se tornam mais produtivas e diversas tarefas operacionais são aprimoradas. Entre suas tantas funcionalidades do WMS, podemos destacar:

  • inventário de materiais;
  • separação de pedidos (picking);
  • controle de portaria;
  • endereçamento de encomendas;
  • estocagem;
  • recebimento e averiguação de cargas;
  • embalagem, carregamento e expedição;
  • emissão de notas fiscais;
  • gestão do fluxo de informações administrativas;
  • entre outros. 

Com isso, houve uma revolução nos setores que demandam logística eficiente. Se antes o controle era feito manualmente, a partir dessa solução o próprio software assume total controle do estoque, desde o momento da chegada de um produto, até a etapa de expedição. O resultado? Diminuição de falhas nos processos logísticos e redução de custos, mas a lista não para por aí, além disso:

  • Otimização do tempo gasto;
  • Organização de todos os processos internos;
  • Controle da entrada e saída de produtos;
  • Planejamento de recursos;
  • Melhoria na comunicação;
  • Controle e abastecimento da linha de produção;

O sistema WMS na logística se conecta a um banco de dados, ali são registrados toda e qualquer movimentação que acontece dentro do armazém, tudo é mediado a partir do uso de códigos de barras, QR codes ou sensores automáticos. Algumas atividades realizadas pelo software, capaz de reduzir falhas importantes na logística:

  • Registra entrada e saída de mercadorias;
  • Atualizar o inventário com informações gerais sobre os produtos, como data de validade, peso, dimensões e número de lote;
  • Impulsiona a organização do estoque, com base na demanda, otimizando o espaço disponível;
  • Fornece relatórios atualizados sobre o status dos produtos no armazém.

5. Sistema de Gestão Empresarial (ERP)

O ERP tem propostas completas para negócios modernos. 

A sigla tem origem no seu significado, que é Enterprise Resource Planning. Atualmente, muitas empresas fazem uso desta soluções, nos mais variados setores, e é composta por módulos. Sendo assim, é possível integrar outros programas como o TMS ou o WMS. Ou seja, seus processos logísticos são centralizados a partir de uma única solução. 

Por consequência, um dos maiores benefícios do ERP é a capacidade de integração logística, o que favorece a troca de informações entre setores e parceiros.

Se tratando dos softwares que potencializam a gestão logística, a lista é longa e sempre está atualizando. No entanto, vale considerar que todas apresentam excelentes vantagens e vão auxiliar seu negócio a alcançar outro patamar e ter mais lucros. 

Gostou do conteúdo? 

Continue nos acompanhando para receber mais dicas! 

A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio, como a integração de sistemas como WMS e ERP. Entre em contato




Inscreva-se e receba nossos artigos!

Tag
logística

O que é flexibilidade logística e como aplicá-la?

A flexibilidade logística, atualmente, tem sido talvez o fator mais importante na cadeia de abastecimento. A razão para que isso esteja acontecendo está diante do entorno tão dinâmico e imprevisível em que os clientes estão envolvidos.

Flexibilidade na logística significa adaptação voltada para o apoio de sistemas e processos necessários para dar continuidade às tarefas com o ritmo que os clientes e a indústria estabelecem.

O que é flexibilidade logística? Passo a passo para aplicá-la

Muitas empresas têm como premissa que o planejamento da produção e da distribuição é realizado de maneira quinzenal. Dessa forma, faz com que se requeira uma grande capacidade de adaptação para reagir no menor tempo possível a problemas relacionados com rotas, volumes, envios e entregas.

Nos tempos modernos, a capacidade de reagir de forma rápida é crítica, e as companhias somente podem fazer isto se tiverem digitalizado seu negócio, ou seja,  através de uma cadeia de suprimentos digital

A nova realidade deixou para trás a dinâmica logística que envolvia folhas de cálculo, o e-mail e o fax para atualizar diferentes status. Através de uma coordenação de fluxos de informação eficiente entre as áreas de abastecimento, armazém, produção, gestão de pedidos e emissão é possível (e vital, questão de sobrevivência), para responder às exigências dos clientes, o que por sua vez reduz inventários e custos de envio.

Qual o papel da flexibilidade logística na cadeia de suprimentos? 

A flexibilidade logística acarreta uma cadeia de suprimentos digital capaz de estar conectada, que, a partir da nuvem, centralizar e otimiza uma informação originada nos sistemas de produção, administração, logística e outros; converte-se em um painel de controle que integra em tempo real sistemas, processos e informação caracterizadas por três fatores:

Modelo de entrega: implementar um software como serviço (SaaS) que irá contribuir com a criação de redes fora da companhia e irá beneficiar financeiramente ao igualar economias e custos.

Funcionalidade: trata-se aqui de combinar as melhores práticas comerciais com ferramentas de administração de cadeias de suprimentos, que sejam capazes de ser implantadas por módulos.

Serviços: trata-se de adicionar à plataforma funções de análise, avaliação comparativa, inteligência de negócios, engenharia e administração.

Por fim, pode-se dizer que a flexibilidade logística planejada pode ser alcançada através de sistemas aperfeiçoados de logística funcionais (capazes de realizar certas tarefas), precisos (seguros e estáveis nas operações), de rápida implementação e, acima disso, que possam ser configuráveis.

Se você é um gestor que está em busca de reagir de maneira ágil é aconselhável implementar padrões de logísticas com base nas melhores práticas internas que superem as dificuldades e exceções. 

A partir da aplicação de normas em processos, instalações, equipamentos e infraestrutura o resultado será diversas soluções padronizadas e estruturadas que permitirão reagir com flexibilidade diante de qualquer complexidade. Confira 3 que não podem deixar de ter no seu negócio: 

Principais softwares para aplicar à logística

Na logística, a tecnologia e a automação têm uma presença cada vez mais relevante para a flexibilidade logística, tanto que, hoje em dia, é muito difícil alcançar a alta performance e ter serviços competitivos e rentáveis, sem o suporte de softwares.

Por consequência, para suprir as demandas do novo mercado, uma ampla gama de sistemas modernos foram desenvolvidos para cumprir com as etapas do fluxo de distribuição, promovendo maior integração, agilidade e eficiência. Como resultado, as atividades se tornam mais produtivas, econômicas e inteligentes.

1. Sistemas de Gestão de Transportes (TMS)

O TMS, sigla para Transportation Management System, trata-se de um sistema de gestão voltado centralmente às atividades de transporte. O software é considerado indispensável para as rotinas de negócios que lidam com uma frota própria ou transportadoras.

Esta solução abrange diversas funções vantajosas, capazes de contribuir para o planejamento e otimização de processos logísticos. De modo geral, o software controla qualquer tipo de informação e tarefa relacionado ao transporte como:

  • gestão de frota;
  • otimização de carga e rotas;
  • auditoria de frete;
  • emissão de documentos e notas;
  • despacho e entregas;
  • entre outros.

Dessa maneira, através dele, com precisão,  a empresa percebe ganhos no seu dia a dia, por exemplo:

  • redução de custos;
  • aumento da visibilidade do negócio e de toda cadeia de transportes;
  • garantia da conformidade;
  • maior flexibilidade;
  • torna possível acompanhar os processos por meio de indicadores de desempenho, dando apoio às tomadas de decisão.

2. Sistemas de Gestão de Armazéns (WMS)

O foco do Warehouse Management System (WMS) é a gestão de armazéns e estoques, o software nada mais é que um sistema de logística que integra a cadeia de suprimentos (SCM – Supply Chain Management), e seu principal objetivo é o gerenciamento e a automatização de todos os processos logísticos que ocorrem em um armazém ou centro de distribuição. No fim, as equipes se tornam mais produtivas e diversas tarefas operacionais são aprimoradas. Entre suas tantas funcionalidades do WMS, podemos destacar:

  • inventário de materiais;
  • separação de pedidos (picking);
  • controle de portaria;
  • endereçamento de encomendas;
  • estocagem;
  • recebimento e averiguação de cargas;
  • embalagem, carregamento e expedição;
  • emissão de notas fiscais;
  • gestão do fluxo de informações administrativas;
  • entre outros. 

Com isso, houve uma revolução nos setores que demandam logística eficiente. Se antes o controle era feito manualmente, a partir dessa solução o próprio software assume total controle do estoque, desde o momento da chegada de um produto, até a etapa de expedição. O resultado? Diminuição de falhas nos processos logísticos e redução de custos, mas a lista não para por aí, além disso:

  • Otimização do tempo gasto;
  • Organização de todos os processos internos;
  • Controle da entrada e saída de produtos;
  • Planejamento de recursos;
  • Melhoria na comunicação;
  • Controle e abastecimento da linha de produção;

O sistema WMS na logística se conecta a um banco de dados, ali são registrados toda e qualquer movimentação que acontece dentro do armazém, tudo é mediado a partir do uso de códigos de barras, QR codes ou sensores automáticos. Algumas atividades realizadas pelo software, capaz de reduzir falhas importantes na logística:

  • Registra entrada e saída de mercadorias;
  • Atualizar o inventário com informações gerais sobre os produtos, como data de validade, peso, dimensões e número de lote;
  • Impulsiona a organização do estoque, com base na demanda, otimizando o espaço disponível;
  • Fornece relatórios atualizados sobre o status dos produtos no armazém.

5. Sistema de Gestão Empresarial (ERP)

O ERP tem propostas completas para negócios modernos. 

A sigla tem origem no seu significado, que é Enterprise Resource Planning. Atualmente, muitas empresas fazem uso desta soluções, nos mais variados setores, e é composta por módulos. Sendo assim, é possível integrar outros programas como o TMS ou o WMS. Ou seja, seus processos logísticos são centralizados a partir de uma única solução. 

Por consequência, um dos maiores benefícios do ERP é a capacidade de integração logística, o que favorece a troca de informações entre setores e parceiros.

Se tratando dos softwares que potencializam a gestão logística, a lista é longa e sempre está atualizando. No entanto, vale considerar que todas apresentam excelentes vantagens e vão auxiliar seu negócio a alcançar outro patamar e ter mais lucros. 

Gostou do conteúdo? 

Continue nos acompanhando para receber mais dicas! 

A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio, como a integração de sistemas como WMS e ERP. Entre em contato




Preencha seus dados e acesse o e-book.

Tem alguma dúvida sobre Logística para E-Commerce?