Inscreva-se e receba nossos artigos

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
17
11
2020

D2C, o foco é o consumidor final: conheça o modelo de negócios ideal para a logística moderna

gestão de logística
gestão
logística

Entre tantos desafios colocados no empreendedorismo na internet, o e-commerce traz a característica de ser um canal democrático, afinal, além do varejo online, ele abre espaço para diversos outros setores. A partir do avanço das plataformas de venda online e aumento de consumidores modernos, as indústrias perceberam que ali haveria uma oportunidade especial para oferecer seus produtos diretamente ao consumidor final, sem que seja necessário um revendedor ou distribuidor. Esse modelo de venda é conhecido por D2C (Direct to Consumer ou DCT).

Grandes empresas como a Nike, Nestlé e Grupo Unilever, além de outros gigantes da tecnologia, já estão presentes no canal eletrônico e anseiam por um crescimento ainda maior. É necessário ficar o alerta: grandes empresas estão investindo em estratégias D2C. De acordo com pesquisas, 87% das indústrias consideram o D2C altamente relevante tanto para o produto quanto para os consumidores. Não à toa, aproximadamente metade delas (47%) está utilizando esse canal para aumentar seus lucros

O que é o D2C?

Não podemos negar que termos como B2B (Business to Business) ou B2C (Business to Consumer) já estão super consolidados no mercado. Agora, precisamos ficar atentos ao D2C (Direct to Consumer), o novo conceito de vendas que também tem gerado bons resultados. 

D2C trata-se de negócios e transações realizadas diretamente entre indústria, franqueados, importadores e distribuidores e o consumidor final. Esse modelo de negócio impulsiona a estruturação de logística sem intermediários. Trata-se de um modelo que ganhou força através do e-commerce, afinal, facilitou a relação direta com o cliente, sem a necessidade de se investir em uma loja física.

A partir do uso de ferramentas oferecidas pela venda online, as indústrias conseguem mensurar dados e compreender os hábitos e desejos do consumidor, transformando-os em um importante diferencial competitivo. Além disso, elas conseguem aumentar o marketshare, disponibilizando aos consumidores modernos mais de um canal de vendas, ou seja, experiências de compra diversificadas.

Principais vantagens em estruturar a logística a partir do D2C

  • Os consumidores têm melhor experiência de compra: ao controlar o fluxo de distribuição por completo, os fabricantes têm mais condições de oferecer uma experiência de compra única aos seus consumidores. Uma vez que esses consumidores estão mais exigentes, o D2C evita falhas no elo entre sua empresa e o cliente;
  • Relacionamento mais próximo com o consumidor final: entender as necessidades do cliente é o primeiro passo para satisfazê-lo, principalmente nos tempos modernos. Ao ter essa aproximação é possível estruturar ações e estratégias para alavancar as vendas, como lançamentos e promoções;
  • Melhor posicionamento da marca: a venda direta sem intermediários permite evitar visões errôneas da marca desencadeadas por uma experiência ruim de compra no varejo online;
  • Aumento da receita: aplicando as melhores táticas de vendas no D2C, as empresas podem alavancar as suas vendas, tendo uma fonte adicional de receita, como é o caso do aumento no lucro de grandes empresas como a Nike;
  • Otimização da performance: a partir do feedback dos clientes, é possível aprimorar de maneira constante a performance, sendo ainda mais assertivo.  

Como estruturar a logística a partir do modelo D2C

Uma coisa é certa: preparar a operação logística é uma ação fundamental para garantir o sucesso no D2C. Os processos para atender pedidos de e-commerce são diferentes daqueles utilizados para abastecer lojas e revendedores. Listamos as ações de logística essenciais para o D2C dar certo:

Picking 

Operar um armazém de uma indústria tem como base, na maior parte das vezes, a separação em grandes volumes (paletes completos, por exemplo) ou caixas fechadas (embalagens próprias), e assim fazendo o uso de modalidades de picking, como o order picking ou bulk picking. Entretanto, esses formatos não funcionam para vendas D2C, compostas em sua maioria por pedidos fracionados.

Nessas situações, para garantir a agilidade no picking é fundamental utilizar um tipo de separação específico, e então evitar o excesso de movimentações no Centro de Distribuição (CD) e a perda da produtividade. Dessa maneira, na maioria dos casos opta-se pelo batch picking, que faz o agrupamento de pedidos, seguido do put to wall (divisão em colmeia). 

Temos aqui uma urgência: planejar e escolher o modelo de picking mais adequado para atender pedidos dos clientes de seu e-commerce é crucial antes de iniciar as vendas no D2C. A busca deve ser por manter uma organização entre aquilo que irá para os e-commerces e revendedoras e o que será enviado diretamente ao cliente.

Estoque: layout e controle

Atender pedidos fracionados demanda também uma área de estoque fracionado, que irá facilitar a coleta pelos separadores. Dessa forma, planejar o layout do CD, buscando assim definir as melhores posições para cada produto é tão imprescindível quanto as outras tarefas. Somado a isso, é essencial ter um rígido controle do estoque, e assim fazer o balanceamento perfeito das linhas, evitando tanto o stockout (produto indisponível para a venda ao cliente) como o excesso de estoque, capaz de provocar mau uso do espaço e perdas.

Logística reversa

Como estamos falando da venda direta ao consumidor final via e-commerce, é essencial destacar a logística reversa. Trocas e devoluções passam a ser comuns nesse setor, e o armazém precisa estar preparado para gerenciá-las da melhor maneira possível. É importante que o produto passe por uma conferência e seja rapidamente reintegrado ao estoque (se ele estiver em boas condições) ou enviado à área de segregados. Junto a isso, o cliente precisa receber um crédito, possibilitando assim a substituição por outro produto.  

Expedição e transporte

Se tratando da expedição, é essencial garantir a impressão da nota junto à etiqueta de transporte na área de embalagem. Além disso, você irá precisar calcular e gerenciar fretes com diferentes transportadoras, e assim definir a melhor opção para cada pedido, tendo em vista as suas inúmeras variáveis. Acompanhe se tudo está sendo cobrado da maneira correta, uma vez que os custos com frete em e-commerce são muito relevantes.

Sistemas e integração

Tudo o que citamos acima pode ganhar ainda mais agilidade, precisão e redução de custos se você utilizar um sistema WMS em seu armazém. O software comporta operações distintas, ou seja, em um mesmo CD você pode atender às lojas físicas e revendedores, assim como os pedidos de e-commerce, com todas as especificidades que cada operação exige. 

Vantagens do WMS na Logística:

  • gerenciamento de todos os pedidos e tarefas; 
  • possui múltiplas modalidades de picking
  • oferecimento de endereçamento dinâmico (atendendo tanto ao giro quanto às regras de armazenagem de cada item);
  • rotação do estoque de maneira estratégica; 
  • rastreia e registra todas as movimentações realizadas.

Tecnologia na logística torna as ações de negócios muito mais potentes, softwares, assim como o ERP, o sistema de venda e os sistemas dos transportadores devem estar perfeitamente integrados, para então ter o controle completo sobre a venda em cada canal e evitar qualquer tipo de falha que vá prejudicar a relação com o cliente.

Acompanhamento da operação logística em tempo real 

Os dados de execução em tempo real são essenciais para acompanhar a operação, com certeza, mas também auxilia na manutenção da operação, tornando-a produtiva e organizada. A partir do uso do sistema WMS você tem a funcionalidade Gestão à Vista, que oferece painéis e dashboards informando o status de cada processo. Se houver alguma divergência notificada, o sistema irá emitir uma notificação para que a correção seja executada de maneira rápida e precisa.

Sem contar que este sistema disponibiliza uma série de KPIs que permitem a avaliação da performance da operação. Entre os indicadores mais importante para venda no e-commerce, estão: rotatividade do estoque, prazo de entrega do pedido (OTIF, OFR e OCT), ticket médio, taxa de retorno e motivo da devolução e custo de transporte por pacote.

 O uso da Gestão à Vista e os KPIs, permite aumentar o nível de serviço, elevar a produtividade no armazém e otimizar a ocupação dos espaços e a gestão do trabalho. São aspectos essenciais para atender o cliente bem com a sua marca e reduzir os custos, tornando o negócio lucrativo.

Plataforma Logística: concentrar a operação logística em um único lugar 

Os consumidores modernos estão cada vez mais ávidos por resultados rápidos. Dessa forma, a preocupação em torno da satisfação do cliente aumentou ainda mais. Um dos maiores questionamentos do setor é se todos estão preparados para suprir as necessidades logísticas de suas vendas. Essa é a grande dúvida. 

Sabemos que atualmente, o consumidor, além de estar atento à entrega dos seus pedidos, também se preocupa com o estado que a encomenda chegou até à sua residência e sem dúvidas o tempo, ou seja, quantos dias levou para sair da empresa enviada. 

Caso a logística tenha atendido às suas expectativas, é possível que ele irá comprar novamente e é nesse momento que a plataforma logística do seu e-commerce pode entrar como uma ótima opção. Os empresários, neste cenário, poderão focar no melhor gerenciamento das empresas, não precisando ficar centralmente responsáveis pelo armazenamento do produto, embalagem e entrega, funções que ficarão à cargo de empresa qualificada e especialista no ramo.

  1. Poder de negociação oriundo dos grandes volumes de carga, que podem gerar acordos vantajosos para o prestador de serviços;
  2. Utilização das áreas próprias da plataforma logística para estoque, diminuindo assim  assim o espaço necessário na própria planta do cliente;
  3. Alcance maior na cadeia de distribuição, a possibilidade de realização de transporte multimodal/intermodal, o que contribui para a diminuição dos custos logísticos, assim como no balanceamento da matriz de transportes;
  4. Proximidade de estruturas de apoio e a possibilidade de exploração de inúmeras alternativas no âmbito de terceiras partes que estão envolvidas no serviço
  5. Geração imediata de empregos na região de operação da plataforma logística.

A Pier8 pode ajudar você nessa etapa importante a partir das soluções em logísticas para e-commerce. Entre em contato conosco através do formulário , conheça nossa plataforma logística e tire todas as suas dúvidas!  




Inscreva-se e receba nossos artigos!

Tem alguma dúvida sobre Logística para E-Commerce?