Inscreva-se e receba nossos artigos

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
23
10
2021

Comércio eletrônico 2022: Desafios e oportunidades

Tag
Confira nossas postagens sobre Logística aqui na Pier8!

O comércio eletrônico está em constante crescimento, mesmo antes da pandemia, a expectativa era de aumento de e-commerces.

Contudo, a pandemia acelerou a transformação digital das empresas. Embora alguns setores do mercado tenham sentido efeitos negativos, como turismo e hotelaria, outros encontram novas oportunidades de crescimento, especialmente os que usam a internet para a comercialização de produtos, o chamado e-commerce.

Confira neste conteúdo os desafios e oportunidades do comércio eletrônico. 

Comércio eletrônico 2022: desafios e oportunidades no Brasil

O comércio eletrônico, também conhecido como e-commerce, não é mais novidade. Este modelo de negócio começou nos Estados Unidos, e ganhou notoriedade a partir do ano de 1995. No Brasil, as primeiras lojas virtuais surgiram cinco anos depois, nos anos 2000.

Virando o milênio com tudo. Desde então, o setor está em constante expansão. 

Para ser mais preciso, a partir do ano de 2010, o e-commerce brasileiro consolidou-se e evoluiu a um crescimento estável. O faturamento do comércio eletrônico tem despertado o interesse de empresários que viram oportunidades neste tipo de negócio mesmo em tempos de PIB baixo. 

Indiscutivelmente, a pandemia acelerou os processos de transformação digital para atender às novas demandas do consumidor, que encontrava-se cada dia mais presente na internet. De acordo com pesquisas, 70% dos brasileiros utilizam a grande rede e, desses, 48% fazem compras online.

A pandemia exige de indústrias e empresas adaptação. Por isso, estar preparado para este mercado é fundamental. 

Iniciar no comércio eletrônico: como abrir um e-commerce?

1. Defina quais produtos e para quem vender

A primeira tarefa antes de entrar no comércio eletrônico é escolher o produto que você vai trabalhar e o nicho para que ele se destina. O que você vai vender e para quem? Qual seu produto e público-alvo? É necessário ter sua estratégia muito bem definida. 

Selecione um nicho de mercado específico: escolher um determinado grupo dentro do seu nicho e oferecer um produto diferente que irá atender às suas características específicas, pode ser a chave para se destacar. É o caminho mais fácil para se tornar referência no seu segmento. Então a nossa dica em relação aos artigos com os quais vai trabalhar e o público-alvo é: encontre um nicho específico no seu segmento, identifique um problema e ofereça uma solução.

Estabeleça não somente um público genérico, mas assim as pessoas do seu negócio. No planejamento crie um ou mais perfis do que seria o seu cliente ideal, que você busca atingir, com todos os dados possíveis: idades, sexo, escolaridade. E também leve em consideração suas prováveis aspirações, sonhos, desejos e dores. Fazendo sua marca mais humanizada e seu consumidor muito mais próximo de você.

Com isso, definido exatamente qual produto e  para quem você o venderá, a estratégia  para elaborar campanhas será mais fácil. Haverá a possibilidade de criar campanhas mais potentes e eficazes utilizando a linguagem adequada para acessar os seus potenciais clientes.

2. Escolha por onde vai vender

Após definida a estratégia do seu produto e do público que pretende alcançar é o momento de  estabelecer qual será seu canal de vendas. Afinal, as possibilidades de  vender pela internet são diversas: nas redes sociais, marketplace  ou optar por ter seu próprio e-commerce.

Para auxiliar a sua escolha, ressaltamos que vender através do seu próprio e-commerce e também pelos outros canais é uma excelente maneira de se fazer presente no ambiente virtual e ser visto por potenciais clientes.

Se você acredita que o comércio eletrônico é algo muito complicado, não se preocupe. Há plataformas de e-commerce em que você pode começar seu site do zero sem nenhuma experiência prévia. E mais, você pode integrar diferentes meios de pagamento e de envio para facilitar a vida dos seus clientes.

3. Monte seu e-commerce

É hora de definir como montar seu e-commerce, essa é a hora de colocar a mão na massa e praticar tudo o que aprendeu! 

Existe uma grande facilidade, melhor dizendo, redução de tarefas, quando se opta por criar o site por meio de plataformas de e-commerce, mesmo nessa condição é necessário caprichar para que sua loja fique atraente e agradável aos usuários. Não se esqueça que a experiência do cliente é um dos fatores mais importantes nos dias de hoje. 

Se você optou por uma plataforma, reserve um tempo para experimentar diferentes layouts e personalizar os que vão de encontro com a identidade visual da sua marca. 

  • Crie um logo caprichado;
  • Tire boas fotos dos produtos e;
  • Escreva descrições originais para cada um dos produtos.

4. Escolha a região que quer começar a vender 

Quem começa a vender online se depara com outro desafio: o tipo de entrega, frete. 

Seja por conta dos preços ou do tempo de entrega, essa etapa é sempre bastante sensível para o consumidor. Dessa forma, é necessário que você dê atenção a esse ponto. 

Pense o seguinte, você estará começando as suas operações, logo, não precisa vender para o Brasil inteiro logo num primeiro momento. 

Que tal começar entregando nos arredores da sua residência?

Isso vai te dar mais experiência para você entender a logística antes de alçar voos maiores.

Assim será possível entender melhor os prazos antes de fazer acordos que não vão acontecer com consumidores, logo, irá evitar frustrações. 

Dê também atenção também aos pagamentos, é cada vez mais importante escolher diferentes formas de pagamento para oferecer boas opções aos clientes.

5. Entenda qual a melhor maneira de investir na divulgação

Quando você cria um e-commerce, certamente precisará investir em divulgação.

No entanto, a grande dúvida é por quais meios você vai planejar seu marketing digital.

Uma coisa é certa: algo que ajudará muito será conhecer a fundo sua persona, pois isso vai te ajudar a saber em quais redes sociais o seu público-alvo estará, como eles costumam fazer pesquisas antes de comprar produtos, entre outros passos.

Assim, você divulga seu e-commerce em locais onde, realmente, há potenciais compradores.

Conheça também a jornada de compra do seu cliente. Se você conhecer cada etapa, desde o momento que ele começa a pensar em comprar um produto até que, finalmente, adquira algo em seu e-commerce, ficará mais fácil alcançá-lo. 

Isso significa que as ações e planejamento valem mais a pena do que sair criando anúncios no Instagram ou campanhas no Google Ads, invista de maneira correta.

6. Otimize a logística

Uma empresa logística é responsável por contratar profissionais cujo foco é gerenciar os materiais, produtos e recursos de uma empresa. Além disso, também torna-se de seu controle a organização operacional. 

A empresa logística é responsável por administrar o estoque, controlar o armazenamento, pensar na cadeia de suprimentos, planejar a movimentação interna, gerenciar a distribuição entre fábricas, centros e varejo, bem como é encarregado pelo transporte e entrega dos produtos. O profissional logístico, dentro de uma operação, é responsável por impulsionar a comunicação entre todos da equipe. 

Nesse sentido, o fulfillment é um elo fundamental para a cadeia de suprimentos. Sem um processo de atendimento e processamento de pedidos preciso, contínuo e confiável, seus clientes não ficarão satisfeitos.

Gostou do conteúdo? 

Continue acompanhando o blog e receba mais dicas para evoluir no comércio eletrônico. 

A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio. Entre em contato para saber mais. 


Inscreva-se e receba nossos artigos!

Tag
Confira nossas postagens sobre Logística aqui na Pier8!

Comércio eletrônico 2022: Desafios e oportunidades

O comércio eletrônico está em constante crescimento, mesmo antes da pandemia, a expectativa era de aumento de e-commerces.

Contudo, a pandemia acelerou a transformação digital das empresas. Embora alguns setores do mercado tenham sentido efeitos negativos, como turismo e hotelaria, outros encontram novas oportunidades de crescimento, especialmente os que usam a internet para a comercialização de produtos, o chamado e-commerce.

Confira neste conteúdo os desafios e oportunidades do comércio eletrônico. 

Comércio eletrônico 2022: desafios e oportunidades no Brasil

O comércio eletrônico, também conhecido como e-commerce, não é mais novidade. Este modelo de negócio começou nos Estados Unidos, e ganhou notoriedade a partir do ano de 1995. No Brasil, as primeiras lojas virtuais surgiram cinco anos depois, nos anos 2000.

Virando o milênio com tudo. Desde então, o setor está em constante expansão. 

Para ser mais preciso, a partir do ano de 2010, o e-commerce brasileiro consolidou-se e evoluiu a um crescimento estável. O faturamento do comércio eletrônico tem despertado o interesse de empresários que viram oportunidades neste tipo de negócio mesmo em tempos de PIB baixo. 

Indiscutivelmente, a pandemia acelerou os processos de transformação digital para atender às novas demandas do consumidor, que encontrava-se cada dia mais presente na internet. De acordo com pesquisas, 70% dos brasileiros utilizam a grande rede e, desses, 48% fazem compras online.

A pandemia exige de indústrias e empresas adaptação. Por isso, estar preparado para este mercado é fundamental. 

Iniciar no comércio eletrônico: como abrir um e-commerce?

1. Defina quais produtos e para quem vender

A primeira tarefa antes de entrar no comércio eletrônico é escolher o produto que você vai trabalhar e o nicho para que ele se destina. O que você vai vender e para quem? Qual seu produto e público-alvo? É necessário ter sua estratégia muito bem definida. 

Selecione um nicho de mercado específico: escolher um determinado grupo dentro do seu nicho e oferecer um produto diferente que irá atender às suas características específicas, pode ser a chave para se destacar. É o caminho mais fácil para se tornar referência no seu segmento. Então a nossa dica em relação aos artigos com os quais vai trabalhar e o público-alvo é: encontre um nicho específico no seu segmento, identifique um problema e ofereça uma solução.

Estabeleça não somente um público genérico, mas assim as pessoas do seu negócio. No planejamento crie um ou mais perfis do que seria o seu cliente ideal, que você busca atingir, com todos os dados possíveis: idades, sexo, escolaridade. E também leve em consideração suas prováveis aspirações, sonhos, desejos e dores. Fazendo sua marca mais humanizada e seu consumidor muito mais próximo de você.

Com isso, definido exatamente qual produto e  para quem você o venderá, a estratégia  para elaborar campanhas será mais fácil. Haverá a possibilidade de criar campanhas mais potentes e eficazes utilizando a linguagem adequada para acessar os seus potenciais clientes.

2. Escolha por onde vai vender

Após definida a estratégia do seu produto e do público que pretende alcançar é o momento de  estabelecer qual será seu canal de vendas. Afinal, as possibilidades de  vender pela internet são diversas: nas redes sociais, marketplace  ou optar por ter seu próprio e-commerce.

Para auxiliar a sua escolha, ressaltamos que vender através do seu próprio e-commerce e também pelos outros canais é uma excelente maneira de se fazer presente no ambiente virtual e ser visto por potenciais clientes.

Se você acredita que o comércio eletrônico é algo muito complicado, não se preocupe. Há plataformas de e-commerce em que você pode começar seu site do zero sem nenhuma experiência prévia. E mais, você pode integrar diferentes meios de pagamento e de envio para facilitar a vida dos seus clientes.

3. Monte seu e-commerce

É hora de definir como montar seu e-commerce, essa é a hora de colocar a mão na massa e praticar tudo o que aprendeu! 

Existe uma grande facilidade, melhor dizendo, redução de tarefas, quando se opta por criar o site por meio de plataformas de e-commerce, mesmo nessa condição é necessário caprichar para que sua loja fique atraente e agradável aos usuários. Não se esqueça que a experiência do cliente é um dos fatores mais importantes nos dias de hoje. 

Se você optou por uma plataforma, reserve um tempo para experimentar diferentes layouts e personalizar os que vão de encontro com a identidade visual da sua marca. 

  • Crie um logo caprichado;
  • Tire boas fotos dos produtos e;
  • Escreva descrições originais para cada um dos produtos.

4. Escolha a região que quer começar a vender 

Quem começa a vender online se depara com outro desafio: o tipo de entrega, frete. 

Seja por conta dos preços ou do tempo de entrega, essa etapa é sempre bastante sensível para o consumidor. Dessa forma, é necessário que você dê atenção a esse ponto. 

Pense o seguinte, você estará começando as suas operações, logo, não precisa vender para o Brasil inteiro logo num primeiro momento. 

Que tal começar entregando nos arredores da sua residência?

Isso vai te dar mais experiência para você entender a logística antes de alçar voos maiores.

Assim será possível entender melhor os prazos antes de fazer acordos que não vão acontecer com consumidores, logo, irá evitar frustrações. 

Dê também atenção também aos pagamentos, é cada vez mais importante escolher diferentes formas de pagamento para oferecer boas opções aos clientes.

5. Entenda qual a melhor maneira de investir na divulgação

Quando você cria um e-commerce, certamente precisará investir em divulgação.

No entanto, a grande dúvida é por quais meios você vai planejar seu marketing digital.

Uma coisa é certa: algo que ajudará muito será conhecer a fundo sua persona, pois isso vai te ajudar a saber em quais redes sociais o seu público-alvo estará, como eles costumam fazer pesquisas antes de comprar produtos, entre outros passos.

Assim, você divulga seu e-commerce em locais onde, realmente, há potenciais compradores.

Conheça também a jornada de compra do seu cliente. Se você conhecer cada etapa, desde o momento que ele começa a pensar em comprar um produto até que, finalmente, adquira algo em seu e-commerce, ficará mais fácil alcançá-lo. 

Isso significa que as ações e planejamento valem mais a pena do que sair criando anúncios no Instagram ou campanhas no Google Ads, invista de maneira correta.

6. Otimize a logística

Uma empresa logística é responsável por contratar profissionais cujo foco é gerenciar os materiais, produtos e recursos de uma empresa. Além disso, também torna-se de seu controle a organização operacional. 

A empresa logística é responsável por administrar o estoque, controlar o armazenamento, pensar na cadeia de suprimentos, planejar a movimentação interna, gerenciar a distribuição entre fábricas, centros e varejo, bem como é encarregado pelo transporte e entrega dos produtos. O profissional logístico, dentro de uma operação, é responsável por impulsionar a comunicação entre todos da equipe. 

Nesse sentido, o fulfillment é um elo fundamental para a cadeia de suprimentos. Sem um processo de atendimento e processamento de pedidos preciso, contínuo e confiável, seus clientes não ficarão satisfeitos.

Gostou do conteúdo? 

Continue acompanhando o blog e receba mais dicas para evoluir no comércio eletrônico. 

A Pier 8 tem soluções em logística para seu negócio. Entre em contato para saber mais. 


Preencha seus dados e acesse o e-book.

Tem alguma dúvida sobre Logística para E-Commerce?